terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Vários tipos de corte



Cada um consegue um efeito diferente – mais balanço, menos volume, nova forma...
Conheça os segredos dessas técnicas.
O primeiro passo para ter cabelos bonitos é um bom corte. Além de dar uma nova forma, ele facilita muito a secagem e o penteado. Cortar nem sempre significa deixar o cabelo mais curto.
Um bom cabeleireiro conhece todas as técnicas que podem dar textura, diminuir ou aumentar o volume e deixar os fios com balanço. E tudo isso pode ser feito sem tirar nada do comprimento do cabelo, se você não quiser.
Menos Volume:
Pôr incrível que pareça, mesmo quem tem cabelo fino ou médio pode precisar tirar o volume de algumas partes para melhorar o visual.
Na verdade, vários tipos de cabelos se beneficiam com essa técnica, pois ela deixa o penteado mais leve, com movimento, além de embelezar a forma. Normalmente, essa técnica é usada apenas em certas áreas especificas, sem que seja necessário diminuir o volume na cabeça toda.
As vantagens do cabelo menos volumoso:
• Retira o excesso.
• Oferece um efeito mais leve, em camadas.
• Melhora a textura e o balanço.
Corte desfiado:
Para diminuir o volume e o comprimento ao mesmo tempo, o desfiado é o método mais usado. O desfiado pode ser feito tanto no cabelo seco quanto no molhado.
A tesoura é usada no cabelo seco, para que o cabeleireiro possa desfiar deslizando a tesoura – se estiver molhado, os fios podem partir ou formar “degraus”, que aparecem quando o cabelo seca.
Em cabelo molhado, ou melhor, umidos, o melhor é usar a navalha, que desliza mais facilmente ao longo dos fios – se estiver muito molhado, ele fica grudado e mais difícil de cortar.
Usar navalha em cabelo seco pode puxar os fios e machucar!
Em cabelo fino, espetado ou crespo, a navalha é usada pôr cima da mecha. A pressão determina o volume retirado.
Em cabelos mais lisos a navalha é usada pôr baixo da mecha. Para diminuir o volume, o cabeleireiro pode optar pela tesoura, em cabelos secos, ou pela navalha, em cabelos molhados.
A tesoura parecida com um bisturi é a mais indicada para conseguir este efeito, pois permite que o cabeleireiro trabalhe mecha pôr mecha, tirando algumas partes ao acaso para dar um efeito natural.
Corte picotado:
Este tipo de técnica consiste em cortar as pontas do cabelo para dentro – tanto no comprimento como na franja – utilizando as pontas da tesoura.
O corte dá mais leveza ao cabelo e cria volume e balanço nas pontas. O corte picotado também pode ser usado para dar um efeito mais natural ao penteado, definindo o estilo.
Picotando as pontas:
Alguns fios são aparados usando a ponta da tesoura. O cabelo deve estar seco.
Picotando a franja: com a tesoura reta, com lâminas paralelas aos fios, a técnica é a mesma e pode ser feita numa franja espessa ou pesada.
Corte perfilado:
Esta é uma técnica semelhante ao afilamento, em geral usado em cabelo muito grosso ou áspero.
O corte perfilado é feito sempre em cabelo limpo e seco usando-se tesoura comum bem afiada. O cabeleireiro corta de um lado da mecha para o outro, lado em três movimentos.
Remove-se alguns fios de cabelo do lado esquerdo da mecha, depois alguns fios do centro e, finalmente alguns fios tirados do lado direito. Os mesmos três movimentos são repetidos mais abaixo da mecha.
Corte de fio reto:
É um corte de precisão usado para deixar os fios no mesmo comprimento. Um exemplo é o corte curto geométrico.
Pode ser feito em cabelos molhados com a tesoura.
Corte em camadas:
É a técnica de cortar o cabelo molhado com a tesoura formando várias camadas horizontais.
É um corte chanfrado que forma um tipo de degradée. Pode ser feito no cabelo todo ou em partes, como na nuca ou acima das orelhas.
Diminui ou aumenta o volume, dependendo do tipo e comprimento do cabelo. Também cria cortes assimétricos. Para conseguir um bom corte, é preciso escolher um bom profissional.
Veja como deve ser o corte repicado em camadas longas, para ter certeza de que tudo sairá da forma planejada...
O corte em camadas cria movimentos nos cabelos e faz com que pareçam mais volumosos. Nos cabelos grossos, eles enfatiza essa característica. O cabeleireiro começa cortando pela nuca.
Esse será o comprimento que servirá de base para o restante do cabelo. Todas as outras camadas deverão estar ligeiramente acima dessa primeira que foi cortada.
O grau de repicado depende, comforme o tipo de repicado que se quer fazer. O corte no topo da cabeça é diferente. Pode ser todinho em camadas também ou então quase reto, seguindo a linha da orelha.
A franja pode chegar até as sobrancelhas, para realçar as maças do roto e disfarçar o queixo quadrado. Se o seu queixo for bem pronunciado, então prefira um repicado ligeiramente mais comprido.
Fica bem em:
• Todos os formatos de rotos.
• Cabelos grossos.
• Cabelos finos e cheios.
• Cabelos lisos ou levemente ondulados.
Não fica bem em:
• Cabelos muito crespos.
• Cabelos muito finos.
Dicas:
Para valorizar pescoços pequenos, faça cortes repicados e bem curtos.
Para criar volume em cabelos lisos, inclina a cabeça para a frente e escove desde a nuca até as pontas, seguindo com secador.
Quando pronto, volte a cabeça e escove só para dar forma.
Se não estiver segura do corte em camadas, faça antes um leve repicado, para ver se gosta, e só então volte ao cabeleireiro para algo mais radical.
Para seu cabelo ficar sempre arrumado, procure escolher um corte bem definido.

Bem amadinha, ai vai mais algumas dicas, espero que goste!!! Um cheiro...
quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

10 CUIDADOS COM O CABELO NO VERÃO!!!!

Sol, calor, inevitáveis mergulhos no mar e na piscina exigem cuidados extras com os cabelos, que enfrentarão muitos dias quentes no próximo verão. Desde já é possível se prevenir contra o enfraquecimento dos fios.
Para isso, confira as dicas do dermatologista especialista em medicina capilar Ademir Jr.

1- Mantenha os cabelos e o couro cabeludo sempre limpos. No verão, o suor, o calor e a umidade podem facilitar problemas como seborréia e caspa.
2- Enxágüe bem os cabelos após sair do mar e da piscina. Este cuidado evita os danos aos fios causados pela salinidade e por elementos usados para o tratamento da água da piscina.
3- Proteja seus cabelos das radiações solares. Estas radiações, além de causarem danos à nossa pele. também agridem de forma intensa os fios, deixando-os mais fracos, quebradiços e sem vida. Vale usar bonés, chapéus e produtos sem enxágüe que tenham filtro de proteção solar.
4- Evite abusar de máscaras capilares diariamente quando estiver na praia ou piscina. Estes produtos não protegem os cabelos. Ao contrário, podem facilitar os danos causados pela água do mar e piscina, deixando os fios mais fracos e suscetíveis às quebras.
5- Evite manter os cabelos úmidos sempre amarrados ou presos. Cabelos úmidos ficam mais fragilizados e o hábito de prendê-los ou de amarrá-los poderá acarretar em danos à estrutura dos fios.
6- Evite abusar de químicas nesta época do ano. No verão as agressões aos cabelos são maiores (vento, sol, água do mar, da piscina). Abusar de químicas coloca em risco a qualidade dos fios.
7- Faça hidratações regulares. Apesar da maior umidade relativa do ar, da exposição à água do mar e da piscina, os cabelos no verão tendem a ressecar. Hidratá-los de uma a duas vezes por semana é uma boa.
8- Escolha produtos que deixam os seus cabelos do jeito que você gosta.
Não há muitas regras, exceto pelos produtos sem enxágüe com filtro de proteção solar. Xampus, condicionadores e hidratantes capilares devem deixar seus cabelos bonitos e com aspecto de saúde.

9- Aproveite esta época do ano para relaxar. O estresse promove a liberação de substâncias e hormônios em nosso corpo que por si só são capazes de deixar nossa pele e cabelos com sinais de fragilidade. Relaxe, pratique exercícios físicos, conviva com pessoas que gosta. Estes hábitos deliciosos também contribuem para cabelos mais bonitos.
10- Tenha uma boa alimentação. Todos os tecidos do nosso corpo são produzidos com matérias-primas que ingerimos. Logo, uma alimentação saudável fará nossos cabelos mais saudáveis e bonitos.


Então amadinha, essas são ótimas dicas para cuidarmos bem do nosso cabelo e estármos lindas para esse verão! Um cheiro...
quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

QUEDA DE CABELO NA MULHER!

A queda de cabelo na mulher é uma queixa freqüente nos consultórios dos dermatologistas e pode se tornar um grande pesadelo para muitas mulheres. Muitas já tentam vários tratamentos por conta própria sem obter sucesso e só então procuram um médico. Várias são as causas da queda excessiva de cabelo na mulher que devem ser pesquisadas e, conseqüentemente, diferentes são as formas de tratamento.
A sociedade está preparada para aceitar os homens calvos, mas nunca as mulheres calvas. Assim, a queda de cabelos torna-se um problema desesperador para a mulher.
Várias são as causas da queda de cabelo na mulher, desde uma diminuição fisiológica do volume dos cabelos na mulher após a menopausa, ao uso de produtos químicos inadvertidamente, até uma forte predisposição genética, sendo comum à associação de vários fatores.
Como são várias as causas da queda de cabelo, também são vários os tratamentos. Em alguns casos deve ser tratado o distúrbio de base, como por exemplo às alterações da tireóide, em outros, a única opção pode ser o transplante de cabelo.


Aproximadamente 90% dos cabelos do couro cabeludo encontram-se em fase de crescimento, sendo que esta fase tem duração de cerca de dois a seis anos. O restante, 10%, encontra-se em fase de repouso, cuja duração aproximada é de dois a três meses. O cabelo cai ao atingir o fim desta fase.
Normalmente perdemos de 50 a 100 fios de cabelo por dia, sendo substituídos por outros que nascem no mesmo folículo dando início a um novo ciclo. Esse tipo de queda natural do cabelo acontece mais na mudança de estação, na primavera e, principalmente, no outono, quando a taxa de metabolismo do corpo está mais alta.
Os cabelos crescem, aproximadamente, 1cm por mês. À medida que o indivíduo envelhece, o crescimento dos cabelos tende a ser mais lento.
A queda excessiva de cabelo pode ter muitas causas diferentes. A pessoa que perceber que seus cabelos estão caindo em grande quantidade deve consultar seu dermatologista, médico especializado no tratamento de alterações da pele e cabelo. É importante descobrir a causa e se o problema responderá ao tratamento médico ou não.
Em paralelo ao tratamento dermatológico, as mulheres devem procurar um endocrinologista e seu ginecologista que eliminará a possibilidade de doenças que podem estar levando a queda dos cabelos, como por exemplo: um tumor de ovário ou adrenal, anemia, ovário policístico, alterações no funcionamento da tireóide e outras.
A perda dos cabelos pode ocorrer de maneira difusa, como no distúrbio chamado de eflúvio telógeno, em que os cabelos de tornam ralos mas não deixa "falhas", como ocorre na alopécia areata, também chamada de "pelada’.
Dentre as principais causas de queda excessiva dos cabelos na mulher estão:
  • Pós-parto: quando a mulher está grávida, ela perda menos fios do que perderia normalmente e ao final da gravidez muitos fios entram na fase de repouso do ciclo e caem. Isso ocorre normalmente 2 a 3 meses após o parto, podendo durar de 1 a 6 meses, retornando ao ciclo normal na maioria dos casos.
  • Anemia: a deficiência de ferro pode ocorrer por uma diminuição da ingestão ou absorção do ferro ou por uma perda crônica através do sangue, como por exemplo em mulheres com o período menstrual muito longo ou com grande volume. Essa deficiência pode ser detectada através de exames de sangue e corrigida com o uso de medicações para repor o ferro.
  • Dieta pobre em proteínas: dietas não balanceadas podem levar uma ingestão inadequada da quantidade de proteínas e o corpo irá economizar as proteínas nos cabelos, fazendo com ele passem para a fase de repouso, o que acarretará em uma perda grande dos fios. Isso pode ser prevenido e tratado através de uma dieta balanceada, com as quantidades adequadas de proteína.
  • Uso de produtos inadvertidamente: o uso de tinturas, água oxigenada, permanentes, alisantes, descolorantes e outros produtos podem enfraquecer os cabelos levando a sua queda. Nestes casos é necessário interromper o uso até o crescimento de novos fios.
  • Infecção por fungos: ocorrem áreas de descamação no couro cabeludo com vermelhidão e inchaço, deixando os fios quebradiços. Essa infecção é contagiosa e deve ser tratada com o uso de medicamentos.
  • Uso de medicamentos: alguns medicamentos podem ter como efeito colateral à queda temporário dos cabelos.
  • Uso de pílulas anticoncepcionais: algumas mulheres podem ter uma perda dos cabelos com o uso das pílulas anticoncepcionais, e caso isso ocorra, devem procurar o seu ginecologista. A interrupção do uso das pílulas também pode desencadear a queda dos cabelos 2 a 3 meses após o término do uso. Esse fato ocorre de maneira semelhante ao que ocorre no pós-parto.
  • Distúrbios da tireóide: a diminuição ou o aumento da produção dos hormônios da tireóide, denominados de hipotireoidismo e hipertireoidismo, respectivamente, podem causar a queda dos cabelos. Essas alterações podem ser diagnosticas pela medida dos hormônios no sangue e seu tratamento pode corrigir a perda dos cabelos.
  • Febre e infecções: febre alta e infecções como uma gripe forte pode levar a uma queda excessiva dos cabelos por 4 semanas a 3 meses, cessando espontaneamente.
  • Estresse: algumas situações, como grandes cirurgias e doenças crônicas, resultam em estresse para o organismo podendo levar à queda dos cabelos. O estresse psíquico também pode aumentar a perda dos cabelos. Caso essas condições sejam passageiras, como no caso das cirurgias, a queda se reverte espontaneamente.
  • Alopécia areata: também conhecida como pelada, é a perda dos cabelos em uma pequena área arredondada. A causa é ainda desconhecida. Pode ser tratada com medicamentos tópicos ou sistêmicos.
  • Calvície hereditária: essa tendência genética pode ser herdada pelo lado materno ou paterno, e as mulheres apresentarão cabelos ralos, não se tornando completamente calvas. Também chamada de alopécia androgenética, ocorre devido a grandes concentrações de hormônios masculinos ou aumento da sensibilidade à ação desses hormônios. Seu aparecimento pode se iniciar ainda na adolescência e existem alguns medicamentos tópicos que podem amenizar o problema.
  • Queda por pressão: a queda dos cabelos pode ser devida a uma tração dos fios, como em sessões de alisamento, ou por pressão provocada pelo uso constante de chapéus apertados.
  • Outras causas: podemos citar ainda como causas de queda dos cabelos os tratamentos para câncer (quimioterapia e radioterapia), lúpus, tabagismo, abuso de bebidas alcoólicas e abuso dos secadores de cabelo.

O tratamento da perda excessiva de cabelo deve objetivar, primeiramente, corrigir a causa. Por exemplo a reposição de ferro na anemia, uso de medicamentos para combater uma infecção por fungos, alimentação balanceada, etc.
Em alguns casos, como na alopécia areata, poderá ser indicado o uso de medicamentos tópicos para estimular o crescimento dos fios.
Nos casos em que tenha ocorrido uma queda irreversível uma alternativa seria o transplante de cabelos. Algumas mulheres com áreas de fios reduzidos, como na calvície hereditária, e pessoas que tenham perdido alguns, mas não todos, os cabelos devido a queimaduras ou outros acidentes no couro cabeludo podem ser beneficiadas com esse tratamento. O transplante é um procedimento cirúrgico e deve ser realizado por médicos especializados.

Então é isso amadinhas, espero que essas informações tenha sido úteis!!!
Um cheiro...

MAKE BRANCO COM PRETO 4º TUTORIAL

MAKE PRETA COM GLITTER 3º TUTORIAL!

MAKE AZUL DA COR DO MAR! 2º tutorial

MAKE ROSA GLAMOUR (1º tutorial)

A Dona do Blog

Divulgue


Visualizações de Página

Tecnologia do Blogger.

Siga-me pelo E-mail

Seguidores

CLUB DA MAQUIAGEM

Redes Sociais